Na Globo News, Gladson Cameli fala dos desafios da gestão

  • 23 de January de 2019

O Governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, concedeu entrevista na manhã desta quarta-feira, 23, ao programa Globo News Em Ponto, do canal fechado de notícias Globo News. A conversa foi conduzida pela apresentadora Aline Midlej e contou com a participação dos jornalistas Julia Duailibi e Otávio Guedes.

A política na área econômica foi o primeiro assunto abordado na entrevista com o governador. Cameli disse que revolucionar a economia é um grande desafio de sua gestão. A abertura do Acre para o desenvolvimento, sobretudo o agronegócio, foi reafirmada pelo gestor acreano.

Governador Gladson Cameli em entrevista ao Globo News, nesta manhã de quarta-feira, 23 (Foto: Reprodução/Globo News)

“Vamos abrir o estado para o desenvolvimento, mas um desenvolvimento sustentável, preservando o meio ambiente. Eu estou defendendo a bandeira do agronegócio e da agricultura familiar, vamos acabar com a burocracia e deixar o pequeno, médio e grande produtor trabalharem”, enfatizou.Cameli argumentou que a transformação econômica do Acre virá do agronegócio. Gladson citou o novo Código Florestal e garantiu que o meio ambiente será preservado. Para o gestor, é preciso aproveitar as áreas que já estão abertas e colocar um fim aos entraves burocráticos que impedem novos investimentos, em larga escala, no campo.

“Não precisamos retirar uma árvore. Precisamos respeitar o novo Código Florestal Brasileiro, acabar de uma vez por todas com a burocracia e aproveitar o que já está aberto, temos terras férteis prontas para serem cultivadas e produzir soja, milho, feijão e arroz para aquecer nossa economia”, pontuou.

Governador Gladson Cameli, em entrevista ao canal Globo News, nesta manhã de quarta-feira, 23 (Foto: Reprodução/Globo News)

“A salvação do Acre hoje, economicamente falando, é o agronegócio, por isso, eu repito, temos que acabar com a burocracia e criar novas oportunidades para o desenvolvimento”, continuou.

O governador ressaltou a posição privilegiada do Acre para a exportação de seus produtos agrícolas. Lembrou que o estado faz fronteira com dois países andinos, Peru e Bolívia, mencionou a conclusão da ponte sobre o rio Madeira, que vai ligar o Acre de uma vez por todas com os demais estados brasileiros por meio da BR 364.

Cameli falou também dos investimentos que serão feitos na zona rural, este ano. O governador assegurou a manutenção e conservação de ramais para escoamento da produção. Ao todo, serão destinados R$ 94 milhões.

Saúde

Questionado pelo jornalista Otávio Guedes sobre a contratação e permanência de médicos nas regiões mais afastadas dos grandes centros urbanos, Gladson Cameli afirmou que é preciso valorizar os profissionais.

“Temos que dar condições de trabalho para os nossos médicos, que são verdadeiros guerreiros. Um dos grandes gargalos que o Acre enfrenta hoje é na Saúde, temos médicos qualificados, mas não temos equipamentos e condições que os médicos possam trabalhar”, disse.

Gladson disse todo esforço está sendo feito para melhorar o atendimento na Rede Pública. O governador declarou que uma nova política arrojada está sendo implantada na área da Saúde. Uma delas é o fortalecimento dos Hospitais Regionais. Atualmente, por causa da falta de infraestrutura dessas unidades do interior do estado, a demanda está concentrada em Rio Branco.

Segurança Pública

Durante a entrevista com o governador, o Acre foi apontado como um dos estados mais violentos do país, em termos proporcionais. Gladson lembrou que a violência não é um problema apenas do executivo e, por isso vem pedindo o apoio dos demais poderes. O gestor afirmou que já solicitou ao Exército Brasileiro uma parceria com as forças estaduais de Segurança para combater a criminalidade.

Cameli frisou que o Acre está na fronteira com dois grandes países produtores de cocaína. Por causa disso, o estado se transformou em um corredor para o tráfico internacional de drogas e armas.

“Fui pessoalmente conversar com os policiais militares e civis explicar que temos um grave problema que precisamos resolver e precisamos da união de todos. Já pedi apoio ao comando do Exército para fecharmos a nossa fronteira, termos um controle mais assíduo porque as nossas fronteiras estão abertas”, ressaltou.

O governador foi firme ao declarar que o crime organizado será combatido com o rigor da lei e que todo esforço será feito para devolver a paz às famílias acreanas. Cameli anunciou novos investimentos e melhorias para as Polícias Militar e Civil.

“Estamos nos preparando para reequipar as nossas policias com a compra de novos veículos, armamentos e dar mais condições para que o policial possa combater o crime organizado”, respondeu.

Cameli salientou a geração de emprego e renda como a principal forma de combater a criminalidade.

“Nossa juventude está sem oportunidade de trabalho, sai das universidades sem expectativa nenhuma de dias melhores, precisamos aquecer nossa economia local e criar oportunidades para que os jovens não ingressem no crime organizado, como está acontecendo”, comentou.

Perguntado sobre a redução da maioridade penal, Cameli respondeu que é favorável a mudança desde o período que exercia o cargo de senador. “Eu defendo que a maioridade penal venha para 16 anos. Se o jovem pode escolher o presidente da República, o que para mim é uma grande responsabilidade, ele tem que pagar pelos seus crimes”, afirmou.

Governador é favorável à criação da Polícia Nacional de Fronteira

O governador Gladson Cameli falou que apoia a criação da Polícia Nacional de Fronteira. Segundo ele, a falta de fiscalização nestas áreas é o grande impulsionador da atual crise da Segurança em vários estados brasileiros.

“Não há mais tempo para esperar e o que precisamos é a presença imediata do Estado Maior, do Exército, juntamente com a presença das nossas polícias. A situação está complicadíssima e precisamos dar uma resposta imediata para nossa sociedade”, pontuou.

Saneamento básico

Segundo o Instituto Trata Brasil, Rio Branco aparece entre as 10 piores cidades no ranking do saneamento básico. O estudo foi apresentado no passado.

Perguntado sobre o tema, Gladson Cameli afirmou que a questão do saneamento básico também é prioridade em sua gestão. O governador já solicitou um levantamento sobre as obras e projetos inacabados nesta área.

“Havia um costume na política de não investir muito na área de saneamento porque [a obra] não aparecia para a população ver. Era um problema que a curto, médio e longo prazo iria aparecer. Um dos maiores gargalos que vamos enfrentar no nosso governo é a questão do saneamento que eu já determinei aos secretários de Infraestrutura e Saneamento rever todos os projetos que estão parados para darmos continuidade e fazermos novos projetos, porque quando se melhora o saneamento, os índices de saúde melhoram também”, frisou o governador .

 

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades