Gladson reafirma compromisso de continuar lutando pela não privatização do setor energético

  • 09 de May de 2015

Cameli Urbanitários2O senador Gladson Cameli (PP-AC) voltou a se reunir com os trabalhadores da Eletrobras - Distribuidora Acre, no início da noite de sexta-feira (7), na sede do Sindicato dos Urbanitários, em Rio Branco, e garantiu continuar lutando pela não privatização do setor energético no Brasil. O vereador Marcelo Jucá (PSB) participou do encontro.
“As falhas registradas no sistema demonstram claramente que as promessas de que o setor privado traria a melhoria da qualidade dos serviços e tarifas mais baixas ao consumidor, foram enganosas,” comentou o senador.
Cameli defendeu também uma fiscalização mais rigorosa por parte da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devido a decadência da prestação dos serviços. Para ele, a parcimônia deixa as prestadoras à vontade. Por mais de uma hora o senador ouviu os trabalhadores do setor no Acre.
“É importante termos o senhor como o nosso aliado no Congresso. Os gestores não conhecem as particularidades da Eletrobras, que precisa utilizar animais para chegar a muitas linhas dentro dos ramais e garantir a energia elétrica ao homem do campo”, disse Davi Wilson, um dos membros da entidade.
Com relação a investimentos,Gladson falou da garantia do ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, de investir até 2018 no estado, R$ 157 milhões em obras em obras da expansão do Sistema de Subtransmissão, R$ 377 milhões na integração de novos municípios ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e 8.200 novas ligações através do programa Luz para Todos.
Ao reafirmar compromissos com a categoria, o senador defendeu um amplo debate do projeto de lei 4330/04 no esclarecimento dos pontos mais polêmicos como a abrangência das terceirizações tanto para as atividades-meio como atividades-fim, as obrigações trabalhistas e a representatividade sindical.
“Tenham uma certeza: eu não votarei pela precarização das condições de trabalho e nem contra o trabalhador. Defendo o amplo debate sobre a terceirização para que possamos aprimorar os pontos polêmicos da lei” concluiu.

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades