Seca, dívidas da Eletroacre e agronegócio fazem Gladson intensificar reuniões com ministros

Em pouco mais de um mês, o senador acriano já participou de seis reuniões com ministros e três com o presidente Michel Temer

O senador Gladson Cameli (PP-AC) intensificou a agenda de reuniões com ministros nesta segunda-feira (11) para tratar de assuntos que afligem várias regiões do estado, como a seca na nascente do rio Acre, a suspensão do seguro-defeso, a renegociação das dívidas da Eletroacre e o fortalecimento do agronegócio.

“Foram encontros extremamente produtivos. Tenho feito uma série de reuniões com vários ministros que assumiram suas pastas agora porque quero tratar pessoalmente com eles dos problemas que atingem a população acriana. Mostro a eles quais as nossas fragilidades e debatemos juntos as propostas de solução. Tenho sentido na equipe desse novo governo muita disposição em colaborar com o Acre”, observou o parlamentar.  

Eletroacre - Ao ministro das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, o parlamentar solicitou urgência na análise do pedido de renegociação das dívidas da Companhia de Eletricidade do Acre, a Eletroacre, uma vez que a empresa está sendo negativada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A proposta da Eletroacre, mediada por Gladson Cameli, é de que a Eletrobras libere diretamente, aos fornecedores, parte do montante de R$ 80 milhões, retida na empresa, referentes à Cota de Consumo de Combustíveis Fósseis (CCC) e à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

De acordo com o senador Gladson Cameli, a Aneel chegou a autorizar a liberação dos valores para pagar os fornecedores de combustível, o que não atende a Eletroacre, porque a empresa não tem débitos vencidos com esses provedores, e sim com diversos de outra natureza.

“A autorização deveria ser para pagar todos os fornecedores. Eu disse ao ministro que essa autorização precisa ser feita na reunião da diretoria da Aneel marcada para esta terça-feira (12), porque sem os pagamentos a Eletroacre não poderá honrar seus compromissos e nem poderá assinar o aditivo de prorrogação da concessão”, alertou o senador.

Seca – Ao ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, Gladson Cameli levou a gravidade da seca na nascente do rio Acre, que está com menos de dois metros de profundidade e ameaça o abastecimento da capital, Rio Branco. O estado decretou situação de emergência, que está sob análise do ministério.

“O ministro Helder foi muito atencioso e disse que não vai deixar que a população acriana sinta as consequências de um racionamento. Expliquei a ele que a liberação dos recursos é fundamental para viabilizar equipamentos, caminhões e toda uma infraestrutura para enfrentar essa seca e ele disse que irá agir com urgência”, informou Cameli.

Nos bairros mais distantes do centro, os pescadores também sofrem com a estiagem que atinge o rio Acre, uma vez que o sustento de algumas famílias humildes vem das águas que cortam a capital. “Temos informações de que o nível do rio está caindo um centímetro por dia. E isso me preocupa muito porque não podemos deixar chegar no limite para intervir. Disse ao ministro Helder que a hora de agir é agora”, informou Gladson Cameli.

Agronegócio – O senador acriano também se reuniu na segunda-feira com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, para tratar sobre o desenvolvimento da agropecuária no estado do Acre, a seca e o seguro-defeso.

“Não tinha como deixar de fora a pauta da seca e do seguro-defeso porque os pescadores artesanais dependem das boas condições dos rios para sustentar as famílias. Ele me garantiu que, neste segundo semestre, será feito um recadastramento dos pescadores artesanais em nosso estado, que gira em torno de 15 mil pessoas, e que o benefício será pago a todos que têm direito”, disse Gladson ao sair da reunião.

Outra garantia que o senador recebeu do ministro foi a da realização, pela Embrapa, de um estudo técnico para verificar qual a melhor forma de o agronegócio ser desenvolvido com sustentabilidade na região.  “Estamos numa época crítica em relação à economia do nosso país, por isso este é o momento de criar mais mecanismos para o desenvolvimento da agropecuária em nosso estado. E eu vou continuar trabalhando para que o Acre consiga, cada vez mais, gerar emprego e renda ”, ressaltou Gladson Cameli.

 

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades