Relator da Lava Jato acolhe parecer que inocenta Gladson Cameli

O relator dos processos no âmbito da Operação Lava Jato, no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, acolheu o pedido da Procuradoria Geral da República de retirar o nome do senador Gladson Cameli (PP-AC) do rol de investigados. A decisão consta no Diário da Justiça, em formato eletrônico, desta sexta-feira (29) e será publicada na próxima segunda-feira (02/10).

“É muito bom poder confiar na Justiça brasileira e saber que, quando não há porque ter medo, basta esperar o tempo fazer com que a verdade prevaleça. Embora a confiança nas instituições do nosso país esteja abalada pelos inúmeros casos de corrupção que vieram a tona, sempre mantenho uma postura de ânimo e confiança, porque isso move o meu trabalho no Parlamento e junto ao Acre”, afirmou Gladson Cameli ao tomar conhecimento da decisão de Fachin.

Em 2015, o nome do senador teria sido citado por um dos investigados em depoimento. Desde então, opositores de Gladson Cameli tem usado o fato para ataca-lo e denegri-lo. Após analisar uma série de investigações, a conclusão do Ministério Público foi de que Gladson Cameli é inocente e por isso solicitou ao STF o arquivamento do processo contra o parlamentar.

“Eu sabia que a oposição ia usar isso contra mim. Porque não havia mais nada em que eles pudessem se apoiar. Nem por isso deixei de trabalhar um só dia. Inclusive sabendo que o bem que a gente faz pelo Acre traz vantagens até pra eles, indiscriminadamente. E agora? O que mais eles vão inventar para me atacar? Nem imagino. Só sei que quanto mais eles atacam, mais forte eu fico, porque a minha força vem de cada acreano que confia em mim. E isso, eles não sabem o que significa”, assegurou Gladson.

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades