Gladson defende articulação política para implementar ZFV

O senador apresentou o PLS 61/2016 com o objetivo de ampliar a Zona Franca Verde em alguns municípios acrianos

O senador Gladson Cameli (PP-AC) defendeu nesta quarta-feira (30) uma grande articulação política da bancada do Norte para garantir a implementação da Zona Franca Verde (ZFV) e outras inciativas que visem o desenvolvimento da região. A bancada conta com 21 senadores de sete estados.

“Nós temos que fazer aqui uma articulação política muito grande para que possamos realmente colocar em prática a Zona Franca Verde. Eu não tenho dúvida. Não estou preocupado se o governador do meu estado é da oposição, porque sou senador de todos. Eu quero é ajudar porque temos que pensar no Acre do amanhã. Que possamos fazer uma unidade política ”, afirmou.

A defesa de Gladson foi feita durante a audiência pública interativa da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) para debater a ZFV, criada para estimular a industrialização a partir do uso de matéria-prima regional nas áreas de livre comércio abrangidas pela Zona Franca de Manaus.  De acordo com Rebecca Garcia, superintendente da Suframa, é necessário que os estados conheçam quais os incentivos existentes para tornar as empresas da região competitivas.

Gladson lembrou que o decreto 8.597/2015, responsável pela regulamentação da ZFV, prejudicou os municípios acrianos de Brasiléia, Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul, porque a área dessas cidades para a ZFV ficou em somente 20 km². “Na regulamentação, o raio delimitado foi muito pequeno e muitas empresas ficaram de fora do alcance dos incentivos. Agora, é necessária uma legislação para readequar o perímetro”, explicou Rebecca.

“Eu apresentei o PLS 61/2016 justamente para ampliar a área. Porque tem empresas que estão instaladas em Brasileia, por exemplo, que não entram nesses incentivos fiscais”, esclareceu Gladson. A superintendente da Zona Franca agradeceu a Gladson Cameli pela iniciativa. “Senador, eu agradeço porque é uma coisa que não depende do Executivo, passa pelo Legislativo. Então, a participação dos senhores senadores e deputados é de grande importância para essa adequação da legislação para que um maior número de empresas possa se beneficiar desses incentivos”, disse.

De acordo com Gladson, não é apenas a Zona Franca Verde que poderá se beneficiar do trabalho parlamentar conjunto, mas também outras iniciativas que pretendam desenvolver o Norte. “Quando se fala de Amazônia, só se fala de preservação ambiental; mas se esquecem dos 30 milhões de amazônidas que lá residem. Em Cruzeiro do Sul, as pessoas não têm o que comer, não tem como trabalhar, não tem incentivos fiscais para gerar emprego, para trazer empresas que realmente possam investir, a máquina pública está inchada, os estados não têm mais como se manter, eu tenho uma preocupação muito grande”, alertou Cameli.

O parlamentar também observou que é necessário deslocar o desenvolvimento do país. “Nós temos que pensar na região Norte de amanhã. Eu quero tranquilizar as regiões Sul e Sudeste. A Zona Franca Verde não vai tirar emprego deles de nenhuma forma. Ela vai dar incentivos para que a gente possa valorizar o que podemos construir e explorar no mercado interno. Precisamos olhar para o Brasil do amanhã. Preparar o Brasil e os nossos estados para o amanhã, porque os nossos filhos estão aí, as famílias precisam de emprego. Se tiver emprego, se gera renda; se gerar renda, se aquece o mercado interno”, analisou Cameli. 

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades