Gladson Cameli propõe unidade e agenda positiva para o país avançar em 2016

De olho nos indicadores econômicos que apontam para o agravamento da crise em 2016, o senador Gladson Cameli (PP-AC) afirmou que o Brasil precisa de uma agenda positiva que aprofunde o debate sobre as reformas necessárias para o país avançar economicamente.  Além disso, o parlamentar declarou que espera que os casos políticos sob a esfera jurídica, sejam analisados e julgados de maneira justa e célere, evitando assim a estagnação da nação brasileira.

Cameli está preocupado com a crise que atinge as finanças dos municípios e dos estados brasileiros, e para isso defende a união entre os representantes da sociedade, independente de bandeiras partidárias. “Este ano o governo agiu como uma espécie de bombeiro, apagando incêndios, e isso foi péssimo para a economia do nosso país, principalmente para os estados mais pobres da federação”, disse o senador.

Ao citar o exemplo da situação da saúde do Rio de Janeiro, ele defendeu o Pacto Federativo que, na sua opinião,  melhora a divisão do dinheiro arrecadado com a cobrança de tributos entre a União, os estados e municípios.

Gladso lembrou que no Acre os poucos recursos liberados através das emendas individuais e coletivas por toda a bancada federal foi uma espécie de cobertor para a economia municipal, principalmente nas cidades mais isoladas que abrigam parte da população mais pobre do seu estado.

“Os prefeitos de oposição sofrem com a intolerância política adotada pelo governo estadual.  Tem município que recebeu mais investimentos de emendas federais do que as de transferências constitucionais de obrigação do estado”, disse ele.

O senador concluiu o primeiro ano no Senado Federal com cerca de R$ 8.900.000,00 (Oito milhões e novecentos mil) de emendas empenhadas, sendo que desse total cerca de R$ 5 milhões chegaram aos cofres de várias prefeituras acreanas. Para ele, em ano de recessão, esse acabou sendo um resultado positivo. “Esses recursos são o resultado de muito esforço e comprometimento com o nosso Acre”, disse o progressista.

Sena Madureira, Brasiléia, Marechal Thaumaturgo, Plácido de Castro, Jordão, Assis Brasil, Cruzeiro do Sul, Manoel Urbano, Santa Rosa do Purus, Epitaciolândia e Rio Branco são alguns dos municípios contemplados. “Eu continuo afirmando que a liberação de emendas é o maior projeto de um parlamentar em Brasília. Isso é que aquece a economia, gera emprego e renda nas cidades” destacou.

A emenda extra-orçamentária que garantiu R$ 1,4 milhão para revitalização do Igarapé Preto é fruto da articulação política do senador junto ao Ministério da Integração Nacional e a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).  Gladson é um dos principais articuladores em Brasília da Bancada do Norte na defesa de um olhar diferenciado do governo federal para a região amazônica.

Desafios para 2016

A taxa de desemprego que atinge diretamente a população mais jovem foi outro destaque apontado pelo senador progressista. Ele defende maior qualidade na educação de ensino médio, momento em que o jovem precisa aprender bem para concorrer no competitivo mercado de trabalho.

“O desemprego acarreta uma série de outros problemas sociais como a entrada do jovem no mundo das drogas. O Brasil pode atingir 15,5% de taxa de desempregados. Pior do que isso não pode ficar se não afundamos de vez. A educação é a grande saída para qualquer crise, principalmente a econômica”, citou.

Autor de relatorias importantes como a que assegura ao candidato aprovado na primeira etapa do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a participação nas duas edições subsequentes, da prova prático-profissional, Cameli afirmou que o primeiro ano de experiência no Senado foi válido.

“Para quem tem sonhos com um Brasil melhor o Senado é uma grande escola política. Infelizmente vivemos um momento conturbado onde todos são vistos como farinha do mesmo saco, mas a hora é de amadurecer, não podemos mais viver num mundo novo com ideias velhas”, destacou ele.

O mais novo senador disse que é preciso aperfeiçoar os sistemas de gestão pública para que o Brasil se apresente com credibilidade, recupere a confiança dos investidores e da população e possa avançar em 2016. Ele aproveitou para deixar uma mensagem de feliz ano novo para toda população acreana.

“Deus nos dá a oportunidade de um tempo novo. Em 2016 que possamos olhar o Acre e o Brasil pra frente, renovando nossa fé e esperança em dias melhores. Todos unidos em um só coração”, concluiu o senador.

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades