​Gladson Cameli acompanha visita de técnicos do Ministério da Saúde à Maternidade Bárbara Heliodora

A visita atendeu convite do senador acriano motivado por denúncias sobre o alto índice de mortes de crianças na maternidade.

Técnicos do Ministério da Saúde (MS) garantiram, na manhã desta quinta-feira (14), no auditório da Maternidade Barbara Heliodora, em Rio Branco, a realização de uma oficina de acolhimento e risco para profissionais da saúde do Acre. Áreas estratégicas da unidade de saúde foram visitadas pela coordenadora adjunta de Saúde da Criança do MS, Tatiana Coimbra, junto com o senador Gladson Cameli (PP-AC); o secretário estadual de Saúde, Jemil Júnior; o deputado estadual Nicolau Júnior (PP), entre outros técnicos do MS e representantes do governo do estado.

A visita de representantes do Ministério da Saúde no Acre atendeu convite do senador Gladson Cameli. Em audiência com o ministro Ricardo Barros, no início do mês de junho, em Brasília, Cameli tratou das denúncias de várias entidades de saúde e dos deputados estaduais Ghelen Diniz (PP) e Eliane Sinhasique (PMDB) sobre o alto índice de mortes de crianças na maternidade.

O parlamentar relatou ao ministro que, entre janeiro e abril deste ano, pelo menos 26 bebês morreram na maternidade Bárbara Heliodora e ainda que, de janeiro a 14 de maio, já foram notificados 1.325 casos suspeitos de zika em todo o estado do Acre e outros 7.276 casos suspeitos de dengue.

“Estamos aqui para garantir a presença do governo federal na nossa maternidade no sentido de ajudar a resolver os desafios existentes na saúde e reconhecer o esforço dos servidores e da equipe de saúde do Acre para que problemas graves como os óbitos de crianças sejam solucionados o mais rápido possível. Precisamos ter essa garantia para mães e bebês que utilizam os serviços públicos do nosso estado”, disse o senador.

Tatiana Coimbra agradeceu a recepção ao senador Gladson Cameli e às autoridades acrianas, afirmando que o Ministério da Saúde está à disposição para trabalhar no sentido de priorizar as demandas da Maternidade Bárbara Heliodora e apoiar ações que visem combater o grave problema de óbitos no local.

Segundo Gerlívia Angelim, coordenadora nacional de Apoio às Mulheres do Ministério da Saúde, desde 2009, os estabelecimentos de saúde da rede pública oferecem apoio às mulheres e crianças atendidas. De acordo com Gerlívia, embora aperfeiçoado pelo programa federal Rede Cegonha e expandido para Cruzeiro do Sul, "o modelo não é o ideal".

A coordenadora informou que a mudança da estrutura física da maternidade também contou com recursos da Rede Cegonha, que visa assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada durante a gravidez. A gestora de Saúde da Criança no Acre, Priscila Aguiar, apresentou relatório da redução - de 11 no mês de janeiro, para sete no mês de abril deste ano - no número de óbitos em menores de um ano na Maternidade Bárbara Heliodora.  Os dados são do Datasus.

Para Cameli, a união de forças dos parlamentares da bancada federal é um diferencial no cenário político acriano que ajuda na resolução dos principais problemas de diversas áreas do estado. “O que precisamos é agir rápido para evitar mais sofrimento, mais dores e maiores problemas para as famílias acrianas e para a gestão pública municipal, estadual e federal”, concluiu o senador. 

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades