Antecipação é uma das estratégias para recuperar a BR 364

Março e abril vão ser dedicados ao levantamento dos pontos de erosão para consequente correção, mapeamento do solo e regularização dos desníveis. A previsão é aplicar R$ 105 milhões nessa revitalização.

A recuperação da BR 364 tem sido um desafio para os parlamentares da bancada acriana. Por inciativa do senador Gladson Cameli (PP-AC), uma reunião esta semana no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) discutiu estratégias para acelerar as obras, com início previsto em maio deste ano.

Além do senador Gladson Cameli, participaram do encontro com o diretor-geral do Dnit, Valter Silveira, os deputados federais Alan Rick (PRB) e Major Rocha (PSDB), e Murilo Arantes, responsável por uma das duas empresas que vão executar a recuperação. “Recuperar as estradas acrianas é ampliar os caminhos para o desenvolvimento. Eu estou propondo uma preparação prévia para vencermos entraves burocráticos e anteciparmos possíveis problemas no canteiro de obras, assim as máquinas poderão efetivamente iniciar os trabalhos com a chegada do verão amazônico”, explicou Gladson.

Além de tratar da parte orçamentária, fundamental para que a recuperação possa ser realizada de maneira produtiva, com uma média de 20 quilômetros por mês, os meses de março e abril vão ser dedicados ao levantamento dos pontos de erosão para consequente correção, mapeamento do solo e regularização dos desníveis. A previsão é aplicar R$ 105 milhões na revitalização de 400 quilômetros da BR 364.

"A grande preocupação das pessoas é com o fechamento da estrada. O governo do estado tenta a todo custo empurrar a atual situação da rodovia para o Dnit, sabemos que não é bem assim. O PT está há quase 20 anos no poder, gastou mais de dois bilhões de reais e entregou uma obra de péssima qualidade. A bancada federal irá fazer todos os esforços possíveis para a reconstrução dessa BR", afirmou o deputado Major Rocha.

“Nosso intuito foi sensibilizar o Dnit quanto à importância da execução dessa obra para o Acre. Fizemos uma explanação e frisamos o quão fundamental é agilizar a parte burocrática, porque se a execução da obra ocorrer durante o verão amazônico a conclusão será mais rápida e sem os transtornos que podem ser causados com o início das chuvas”, ponderou o deputado Alan Rick.

De acordo com o superintendente do Dnit no Acre, Thiago Caetano, a recuperação é apenas uma fase da melhoria nas condições de tráfego da BR 364. O rigoroso controle do peso dos veículos de transporte de carga é primordial para a manutenção. “Já tratamos com o senador Gladson Cameli e ele está nos ajudando a conseguir ao menos duas balanças para controlar o peso dos veículos. Não adianta gastarmos milhões de reais dos cofres públicos se não fiscalizarmos a sobrecarga”, explicou Caetano.

De acordo com estudos do consultor legislativo da Câmara dos Deputados, Rodrigo Borges, uma carga de 2% acima do permitido implica em 8% da destruição do pavimento e 7,5% de sobrecarga é capaz de reduzir pela metade a vida útil do asfalto. “Num primeiro momento, o controle do peso pode trazer resultados negativos como um aumento no custo dos produtos transportados. Mas precisamos pensar a longo prazo e esse controle é para o bem de toda a região. É inaceitável que a região do Juruá, em pleno século 21, ainda sofra as consequências do isolamento causado pelas más condições da BR 364”, analisou Gladson Cameli.   

 

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades