Governador elogia dedicação de Gladson Cameli na liberação de recursos para obra do Anel Viário

"Mais de R$ 80 milhões em investimentos foram assinados para a região do Alto Acre através do DNIT

“Muito obrigado ao senador Gladson Cameli (PP-AC) pela dedicação a esta matéria”, disse o governador Tião Viana em seu discurso durante a solenidade de assinatura do Termo de Convênio entre o Ministério dos Transportes, através do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) e o Governo do Acre, através de Deracre, para construção do Anel Viário entre as cidades de Epitaciolândia e Brasileia, na tarde desta sexta-feira (6), no Centro Cultural de Brasileia, região do Alto Acre. 

O diretor nacional do DNIT, Halpher Luiggi, veio para Rio Branco e se deslocou de carro até Brasileia para assinatura do termo de convênio. A obra do Anel Viário é de R$ 60 milhões. O superintendente do DNIT no Acre, Thiago Caetano, no mesmo ato, deu ordem de serviço para recuperação da BR-317, no valor de R$ 25 milhões. 

Para o senador Gladson Cameli, o momento que a região vive é histórico. Ele citou as obras da ponte sobre o Rio Madeira e o Anel Viário do contorno entre as cidades de Epitaciolândia e Brasileia como primordiais para consolidação da integração do Brasil. O progressista disse ainda que o mercado andino deve estar no olhar dos empresários e produtores da região. 

“O governo do estado foi fundamental para realização desse sonho, por isso não poderia deixar de agradecer ao governador Tião Viana. O estado doou o projeto e, a partir daí, lutamos nos ministérios, correndo contra o tempo, com aval de toda a bancada federal, para não deixar os recursos voltar, e estarmos aqui lançando R$ 85 milhões de investimentos na região”, disse Cameli.

Halpher Luiggi lembrou a luta do senador Cameli, que não mediu esforços para acelerar a assinatura de documentos que garantiram os recursos necessários para o início das obras. Segundo ele, o bastão agora está com o governo do Acre.

“O senador Gladson Cameli sabe do que estou falando. A tarefa não foi fácil. A corrida contra o tempo exigiu um esforço de todos nós. Agora o bastão é do Deracre, que precisa licitar a obra e executar o serviço com a nossa parceria. O que pudermos fazer para vencermos esse desafio, será feito”, garantiu Halpher.

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades em primeira mão!

Comentários

Siga nas redes sociais:

Receba Novidades